sábado, 9 de junho de 2012

O Sal da Terra e a Luz do Mundo



Texto base: Mateus 5:13-16


"Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais preta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus".    


Jesus  sempre usou em Seus ensinamentos, elementos concretos e conhecidos por todos a fim de ensinar-lhes uma verdade espiritual. Ele usa as figuras do sal e da luz para referir-se aos seus discípulos. Sal e luz são duas coisas que nós conhecemos bem. Todos os dias temos contato com a luz (sol ou das lâmpadas) e também com o sal que especialmente se faz presente nos alimentos que comemos.  Através das metáforas de Sal e de Luz, Jesus revela a enorme força do testemunho e a importante função dos Seus discípulos, especialmente dos pregadores, que é sobretudo preservar e proteger a humanidade contra as influências malignas da corrupção e da maldade (a função do Sal) e ajudar a humanidade a conhecer, através da sua fé e seu bom exemplo iluminadores, o caminho da salvação (a função da Luz). Dessa forma, Jesus enfatiza a nossa responsabilidade de cristão e, nos ensina, que como Seus discípulos, devemos exercer uma influência positiva no mundo em que vivemos. Por isso, Ele nos chama de “sal da terra” e “luz do mundo”.

Vamos analisar a função do cristão como sal da terra:

1- VÓS SOIS O SAL DA TERRA

O sal é branco como o açúcar, parecidos  como são, conheço pessoas que colocaram sal no café pensando ser açúcar, ou açúcar no feijão, pensando que era o sal. Eles são parecidos, mas seus sabores são totalmente diferentes. O sal ou cloreto de sódio, é um ingrediente salgado, que além de dar sabor aos alimentos, serve para CONSERVAR os alimentos perecíveis tais como carnes e peixes, contra a deterioração.  A humanidade não pode passar sem o sal; por isso, este precioso elemento chegou a ser moeda de troca. Os soldados romanos recebiam parte do seu pagamento com sal, donde vem a palavra “Salário”.
O sal tinha um valor era tão alto e era tão valioso que foi usado a nível religioso. Nos atos religiosos dos israelitas era usado como oferta:
- Nos sacrifícios (Lev. 2:13) “E toda a oferta de manjares salgarás com sal; e não deixarás faltar à tua oferta de manjares o sal do concerto do teu Deus; em toda a tua oferta oferecerás o sal”.
- Nos holocaustos (Ez. 43:24) “E os sacerdotes deitarão sal sobre eles e os oferecerão em holocausto ao Senhor”
- Para firmar alianças, especialmente as que se faziam com Deus (Núm. 18:19) “… concerto perpétuo de sal perante o senhor é, para ti e para a tua semente contigo”;
II Cró. 13:5) “Porventura não vos convém saber que o Senhor, Deus de Israel, deu para sempre a David a soberania sobre Israel, a ele e a seus filhos, por um concerto de sal?”
Mas, o sal como elemento químico pode perder seu sabor e se tornar insípido e inútil, ou seja; sem nenhum valor.
Na Bíblia o sal vai muito além de um simples cloreto de sódio. Na Bíblia o Sal significa Elemento Purificador. O cristão que se alimenta da Palavra de Deus deve conservá-la pura no seu coração a fim de não entrar em decomposição e ser alterada com heresias e contaminada pelo pecado.

O perigo do sal se tornar insípido
O sal insípido é o sal que perdeu as suas reais qualidades e o sabor que o deveriam caracterizar. Nestas circunstâncias é jogado fora e é pisado pelos homens (Mat. 5:13).  Há um grande perigo do cristão se tornar insípido. No reino de Deus quando um cristão se torna insípido, o seja, quando perde o sabor, ele se torna uma pessoa comum, apenas um ser terreno sem temor a Deus, sem a presença do Espírito Santo e sem nada que o distinga dos demais. Ele simplesmente se afasta do Senhor, abandona seus cargos, sua posição e começa então a agir como as pessoas do mundo. Isso acontece com os que se deixam corromper pelo pecado. Observe a pergunta de Jesus:  “...com que se há de salgar”? Isto é: como podemos restaurar as suas qualidades e o seu sabor? Olhando pelos olhos carnais não é possível uma restauração, mas no sentido espiritual o cristão que perde o seu sabor e as qualidades de pureza, pode voltar à cruz e ser de novo restaurado, porque o sangue de Jesus lhe confere essa possibilidade, quando confessamos os nossos pecados, Ele é Fiel e Justo para nos perdoar  os pecados e nos purificar de toda injustiça (1 Jo. 1:9)
 O Senhor Jesus aconselha para termos sal em nós mesmos: "Bom é o sal; mas se o sal vier a tornar-se insípido, como lhe restaurar o sabor? Tende sal em vós mesmos e paz uns com os outros" (Mc 9:50).

Como Luz do Mundo, o cristão tem a função de iluminar o caminho da verdade para os que estão em trevas. A luz simboliza a pureza e a revelação divina

Conclusão: Nós, como igreja viva do Senhor,  somos sal neste mundo para o conservá-lo a fim do mundo não se decompor, não se corromper e não apodrecer perdendo-se totalmente. Como luz não pode ficar apagada. Jesus disse; ASSIM BRILHE A LUZ DIANTE DOS HOMENS....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Postar um comentário

Seja Bem Vindo!

Seja bem vindo!
É um prazer ter você em meu blog. faça o seu comentário, deixe a sua mensagem.